sexta-feira, 19 de junho de 2015

O ataque das milícias de Maduro à comitiva brasileira e a necessidade de uma mudança de postura


Imagem: Reprodução Redes Sociais
Senadores brasileiros foram apedrejados na Venezuela por chavistas. O Brasil, representado por seus senadores, foi agredido, desrespeitado, humilhado. A submissão do governo brasileiro ao Foro de S. Paulo foi exposta ao mundo sem máscara.

Um policial venezuelano confessou sem qualquer constrangimento que a ação de bloqueio dos senadores foi uma "sabotagem". Leia aqui


Veja agora as reações dos esquerdistas e da imprensa: quem for solidário e mostrar indignação merece seu respeito. Quem for omisso, cínico, irônico, sarcástico ou vulgar, merece seu repúdio eterno. Como disse Viktor Frankl, só existem duas raças humanas: os decentes e os indecentes. Esse é um ótimo episódio para identificar quem é quem.

Na política, é preciso saber quem é concorrente e quem é inimigo. Como exemplificou Erik von Kuehnelt-Leddihn, uma empresa que vende sapatos é concorrente da outra que também vende sapatos. Se aparece alguém que quer abolir o uso de sapatos, ele é inimigo.

Os bolivarianos daqui e de lá não são concorrentes, são inimigos. Eles querem partido único, censura e ditadura com perseguição, tortura, prisão e morte de opositores. A única chance de vencer uma batalha é entender e conhecer o inimigo.

Por Alexandre Borges
Comentários
0 Comentários
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

UOL Cliques