terça-feira, 7 de abril de 2015

Um equívoco deste blog e 7 desafios para Lola


Imagem: Reprodução Redes Sociais
Por Luciano Ayan 

O objetivo deste post é esclarecer alguns pontos da polêmica envolvendo este site e Lola Aronovich.

Vamos aos fatos. Na sexta-feira durante a tarde, 3/4, publiquei um post com o título "Blogueira feminista diz que não apenas filho de Alckmin, como o pai, deveria ter morrido". O print screen utilizado neste post veio da página de Facebook Esquerdopatia é uma doença mental. Aparentemente, uma página bastante radical, o que comprovei posteriormente. No sábado a noite, o colunista Marcus Vinicius Motta me alertou sobre a possibilidade da imagem ser fake. Consultei o pessoal da página do FB e de cara adicionei o post original, inserindo uma mensagem no post dizendo que a imagem estava sob contestação, aguardando posicionamento de Lola para questioná-la. No domingo, no início da tarde, Lola fez um baita fuzuê em seu Twitter reclamando a torto e a direito. Por questões de justiça, coloquei a versão dela por completo no post, que foi atualizado no domingo, 5/4, as 15:04 da tarde. De fato, cabe ao acusador validar o printscreen, e não a Lola, que deve contestá-lo até que o acusador apresente uma comprovação de seu printscreen. Idealmente, uma ata notarial.

Ter colocado a página à disposição do ofendido, fazer a retificação pública parcial após o aviso do meu amigo, e completa após a reclamação pública de Lola, demonstram uma coisa, conforme escrevi anteriormente:
Isto mostra uma diferença ética novamente muito grande. Este blog cumpriu sua parte e fez a retificação solicitada. Enquanto isso, Lola mantém difamações (e até imagens falsas) contra este blogueiro que vos escreve. Será que ela agiria com o mesmo senso ético retirando um conteúdo que sabe ser falso? Como diria o ceguinho esperançoso veremos...
Pois bem. Em um post do dia 25/3, Lola havia incluído uma imagem falsa a meu respeito. Aqui vai:


E, incrível, ela retirou essa imagem. Mas de fininho, para ninguém perceber. Nem mesmo um aviso de atualização. Nada. Aliás, essa imagem pertence a Marco Suriani, um stalker que jamais conseguiu validar judicialmente qualquer printscreen contra este blogueiro. Todas as táticas de Suriani se baseavam em dizer que eu tinha vários fakes para elogiar o que eu próprio escrevia. Tudo bem que a historinha até colava em 2011 enquanto eu tinha um blog com 200 a 300 acessos por dia. Hoje em dia o Ceticismo Político, onde escrevo uma ou duas vezes por semana, tem mais tem entre 5.000 e 10.000 acessos por dia. E quando era meu blog principal, antes de eu iniciar o Crítica Política, ficava entre 15.000 e 45.000 acessos por dia, hoje transferidos, em até maior quantidade, para o novo site. Talvez por isso Suriani desapareceu e nunca mais escreveu. (Todo o ódio de Suriani contra este blogueiro, que o fez colecionar prints sem validação jurídica alguma, surgiram a partir do momento em que escrevi o primeiro post sobre "controle de frame", em dezembro de 2011, quando eu ainda não havia me tornado especialista nesta técnica, suficiente para acabar com todo o esquerdismo. Eis o motivo do ódio, já que os métodos da esquerda agora poderiam estar disponíveis para a direita.)

Pois agora vejamos imagens (registradas, não adianta deletar) postadas por Lola Aronovich:


Primeiro desafio para Lola: comprovar que há conteúdo "de ódio" em meu blog. É exatamente o oposto: o meu site é uma crítica à intolerância e em favor da liberdade de expressão, rejeitando qualquer forma de violência. Aguardo evidências em contrário.

Aliás, há quem tenha ameaçado Lola, segundo a própria. Se isso ocorreu é lamentável e não foi por orientação deste site. É uma diretiva ética de quem defende (de verdade) a liberdade de expressão jamais atingir indivíduos em seu meio de vida apenas por que ele tem opiniões políticas divergentes. Podemos criticar fortemente, como faço. Ficar agindo como stalker é repulsivo.

Sigamos:


Péssima imagem, de horrível resolução. Mas eis aqui o segundo desafio para Lola: prove que tal pessoa me "conhece". Quem é tal pessoa? Como ela valida que as informações acima são menos fabricadas do que aquelas que ela agora rejeita sobre ela? Ou seja, aqui temos o duplo padrão típico da extrema esquerda: print fake e alegações sem provas são válidas desde que você não for feminista ou esteja em oposição política a uma delas. Ética bem trotskista, não?


Terceiro desafio para Lola: provar que eu escrevo textos pedindo eliminação de saúde, educação e segurança pública. Eu posso até pedir redução de ministérios, venda da Petrobrás, fim da Lei Rouanet, fim de verba estatal para anúncios, fim de publicidade institucional, além de fim do fundo partidário. Essas são pautas que defendo, antes de pensar em eliminar "saúde e educação" (não sei para quê, no momento atual). Em tempo: foi o governo do PT que acabou com a segurança pública. E a saúde pública foi danificada intencionalmente pelo partido que ela apoia apenas para existir pretexto para enviar dinheiro a Cuba. Ah, e educação a la Paulo Freire? Ela é divertida...


Quarto desafio para Lola: De qual comunidade? Com qual evidência? Como ela prova que não se tratada de um fake? Já prevejo a mesma desculpa do stalker Suriani: "não vou registrar ata notarial hahaha". Sem isso, todas as citações da Lola valem tanto quanto as do print que ela reclama. Mas de novo: para ela, print falso e fake só não pode fazer de feminista. Baita ética.


Quinto desafio para Lola: demonstrar que a relação de 'causa e ação' que propus é igual ao que ela afirmou. Vocês podem ler o que eu escrevi aqui para ver o quanto ela mente sobre o que escrevi.


Mais um desafio para Lola (é o sexto, portanto vejo que ela vai ter trabalho): provar que realizar uma entrevista com alguém é "sair em defesa do entrevistado". Ao que parece, ela não quer que eu publique a entrevista completa (o que ocorrerá provavelmente neste próximo sábado no blog Ceticismo Político) por algum motivo.


Em entrevista a este blogueiro, Emerson se declarou como Nessahan Alita. Lola começou mais uma sessão de ataques a mim dizendo que Nessahan era outro. Como um bom cético faria, retirei duas linhas onde eu assumia como fato Emerson ser NA. Prefiro usar a "suspensão de crença" dos céticos. Mas Lola não. Ela definiu que Cléber é Nessahan Alita por que é. Sem nenhuma evidência. Nenhuma demonstração de registros autorais. Este então é o sétimo desafio de Lola: comprovar a identidade de Nessahan Alita conforme ela alegou. Ao que parece, essa é mais uma alegação sem provas. Eu não me importo sobre quem seja. Ela parece se importar. Vamos assistir de camarote.

Enfim, aguardemos a postura de Lola em relação às informações falsas que ela sabe serem falsas (ou ao menos carentes de evidências). E todos os leitores poderão acompanhar a diferença ética entre um debatedor politicamente cético de direita e uma radical de extrema esquerda que parece acreditar em muita coisa sem provas (talvez por conveniência). 
Comentários
0 Comentários
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

UOL Cliques