domingo, 12 de abril de 2015

Linhas auxiliares do PT perseguem Eduardo Cunha e a necessidade de se pensar politicamente


Imagem: Reprodução Redes Sociais
Por Aitofel de Souza

O presidente da Câmara Eduardo Cunha, do PMDB, tem sido o responsável por sucessivas derrotas sofridas pelo governo. Agora, por meio do apoio de seu partido, uma nova derrota a Dilma: a Câmara abre sigilo do BNDES. Foi o suficiente para o partido passar a usar suas linhas auxiliares CUT e movimento LGBT que agem contra lideranças especificas fingindo independência do planalto. 


Contrariando jornalistas partidários que chamam estes grupos de manifestantes, visando com isso desinformar, atenuar e enganar quem se ache horrorizado por atos antidemocráticos por estes grupos, a verdade é que as ações não são manifestações espontâneas, mas atos coordenados politicamente. 

Estes grupos facilmente se reconhecem como partidários pela defesa que vem fazendo ao partido petista, assim como sucessivas perseguições a opositores deste, uso de bandeiras vermelhas, bem como a ociosidade de tempo percebida na disponibilidade dos mesmos em dias úteis. Outros fatores para identificá-los incluem disponibilidade de tempo nas redes sociais, uso da tática do quebra-quebra e diversas agressões

Claro que cabe por parte da direita blindar o cidadão Cunha. Em termos políticos, ele está sendo muito útil contra projetos totalitários petistas. Antes que algum desinformante use de subterfúgio para tapear libertários e conservadores afirmando que o presidente da câmera não é "santo" e "não merece ter apoio por ser corrupto" afirmo que não é o momento para se pensar moralmente, nem ser feito de trouxa por discursos apelando para moralismo por ativistas da esquerda. Agora devemos pensar politicamente.

Claro que de forma alguma é pedido para conservadores e libertários que usem desonestidades intelectuais e mentiras, como faz a esquerda. Se o deputado tem alguma culpa isso deixamos para as nossas instituições, as quais os bolivarianos querem subverter e aparelhar. O que quero deixar claro é que o uso por parte da esquerda chamando o deputado Eduardo Cunha de corrupto e outros termos pejorativos é apenas para afastar do mesmo qualquer apoio, permitindo que este se sinta só e seja totalmente pressionado pelos militantes pró-governo.

Quanto ao pensar politicamente e não moralmente vale guardar e praticar o ensino do professor Olavo de Carvalho :

Em política nunca tome partido de nada com base em valores e ideias. Não é disso que se trata política. Politica quer dizer poder e este poder significa capacidade que um sujeito tem de determinar as ações dos outros, de fazer os outros fazerem o que ele quer, seja por qualquer meio. A política trata de pessoas e meios, nunca de valores e fins. O que trata de valores e fins é a religião, filosofia.
Veja o vídeo:



Este momento é decisivo. Estamos em uma guerra. Minhas palavras podem não ser agradáveis e se chamar nosso adversário politico de inimigo for algo radical para você, peço que lembre que este partido vem ajudando a financiar ditadurasusa os recursos e rendimentos dos trabalhadores da pátria para auxiliar financeiramente governos bolivarianos fortalecendo-os com ajudas em infraestrutura, ajudas econômicas, uso do trabalho escravo de médicos cubanos (cujas famílias são reféns em Cuba), e fazer vista grossa diante do massacre ao povo venezuelano, somado a ser orientado por uma organização internacional chamada Foro de São Paulo, que nos quer tornar um curral sob uma ditadura de uma elite burocrática vermelha. 

Portanto, peço que reconsidere. Nessa guerra pense e aja politicamente. Nesse contexto, em relação ao deputado Eduardo Cunha, o inimigo do meu inimigo é meu amigo.
Comentários
0 Comentários
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

UOL Cliques