sexta-feira, 3 de abril de 2015

Dias Toffoli deve ser impedido de julgar na Lava-Jato


Imagem: Reprodução Redes Sociais
Por Aitofel de Souza

É fato que desde que o PT chegou à presidência da república os limites entre as atribuições das figuras públicas do partido e os interesses partidários deixaram de existir.


Uma das indicações do partido para ministro no STF foi o jovem Dias Toffoli, que, comprova-se, ocorreu graças a um currículo partidário e não ao seu saber jurídico.

Toffoli deveria ser impedido de julgar o caso lava jato porque ao longo de sua trajetória profissional foi advogado eleitoral do PT. Também  foi uma figura intimamente ligada ao ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva.

Ele também foi funcionário da casa civil sob José Dirceu e assessor do PT com José Genuíno, sendo remunerado pelo PT por seus serviços de advogado do partido. Toffoli também é ex-advogado geral da união na era PT no governo Lula. Logo, de cara representa a figura de partido. Qual a isenção e imparcialidade que terá esse ministro nesse julgamento? 

Seu histórico no caso mensalão mostra que ele atuou mais como defensor dos culpados, além, é claro, de absolver José Dirceu. Como presidente do STE apurou sozinho os resultados das eleições, em uma das maiores vergonhas da história do Brasil. 

Agora no caso Lava Jato, pediu transferência para o atual presidente do STF, Ricardo Lewandowski, e a primeira coisa que fez após sua solicitação ser aceita foi encontrar-se com Dilma Roussef, que é chefe de um outro poder, não do judiciário, mas o do executivo. 

Dilma é também personagem central da crise de corrupção. A desculpa amarela segundo Toffoli é que era para "debater um projeto de unificação dos documentos de cadastro do cidadão pela justiça eleitoral". Debater isso com a presidente da república? Uma reunião não agendada e nem oficialmente prevista? Junto com Dilma estava também Mercadante, que cuida dos problemas referente ao planalto. Dias Toffoli, Dilma e Mercadante à portas fechadas. Não dá para desconfiar? Não dá para perceber que há desrespeito a separação dos poderes? Não se nota que o PT ainda continua a não diferenciar os interesses públicos daqueles do partido? Os brasileiros vão suportar esta afronta?

Na rede há uma petição para que Dias Toffoli não presida o julgamento da Lava Jato. Devemos apoiá-la. Não interessa se vai "adiantar" ou não. O que importa é que o número de assinaturas precisa ser altíssimo para que o Brasil mostre que não concorda com uma pessoa como Dias Toffoli julgando o petrolão. A mensagem clara é que para o povo brasileiro a presença de alguém que representa tantos interesses do partido julgando o petrolão é uma situação de fraude. 

Nos países mais democráticos o preenchimento dos cargos nos tribunais superiores é mediante ascensão de carreira ou concurso público, não por ligação partidária. Mais uma razão para que todos nos juntemos à manifestação do MBL no dia 12/4, pois entre as pautas está o pedido do afastamento desse ministro do caso Lava-jato. 

Vamos ás ruas. Vamos dizer "fora PT e fora aparelhamento", pois "para que o mal triunfe basta que os bons fiquem de braços cruzados" (Edmund Burke, filósofo e político anglo-irlandês).
Comentários
0 Comentários
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

UOL Cliques