segunda-feira, 13 de abril de 2015

As cabidadas de Dilma


Imagem: Reprodução Redes Sociais
Por Marcus Vinicius Motta

A existência do PT é toda baseada em mitos e mentiras. A começar pelo nome de um partido coalhado de auto-denominados intelectuais e artistas que gostam de tudo, menos de trabalhar.

Seu líder máximo é um operário que não pisa num chão de fábrica há uns 30 anos, seu braço armado é formado por "sem terras" que conhecem tanto uma enxada quanto o Lula os corredores de uma biblioteca, seu braço estudantil é formado por gente em torno dos 30 anos, que passou os últimos 10 perambulando por universidades sem se formar e que se apresentam como representantes da "juventude".

Acha pouco? Seus "guerreiros do povo brasileiro" são bandidos condenados por assaltar o país, e a Petrobras - empresa que eles tratavam como donzela a ser protegida dos privateiros da oposição - não só foi encoxada, como estuprada pelo partido e deixada ao relento num posto de gasolina de beira de estrada.

A luta por um país melhor virou a luta por uma conta bancária maior. A bandeira da ética virou um pano de chão para limpar as sujeiras da companheirada. O slogan "um país de todos" na realidade escondia o país da ação entre amigos. E o que dizer de "país rico é sem pobreza"? Ricos ficaram os que cobraram porcentagem de propina, enquanto a pobreza assola toda cidade média ou grande.

Pátria educadora? Ensinando o quê? A mentira? A calúnia? A difamação? Todas armas para "fazer o diabo" e garantir mais quatro anos de poder?

E agora, vejam vocês, até as mentiras mais surreais viram verdades nessa degeneração total que é o lulopetismo. O jornalista Ricardo Noblat relatou em sua coluna no Globo uma surra de cabide que Dilma Rousseff deu numa empregada do palácio.

Seu silêncio teria sido comprado com uma unidade do Minha Casa, Minha Vida e um emprego novo, mas o fato não se apaga: a presidente do partido que jura defender os pobres aplica castigos corporais na criadagem.

A empregada usa o mesmo perfume da patroa, mas se essa patroa for Dilma, leva também umas cabidadas.

E aí está mais um dos muitos mitos do PT: quem era mesmo o candidato que batia em mulher?

Resta saber quantas mentiras mais o tempo vai revelar e, principalmente, se o país vai aprender a lição.

Na foto a presidenta dando um cabidouken em alguma empregada.
Comentários
0 Comentários
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

UOL Cliques