quarta-feira, 25 de março de 2015

PT: os que fogem e os que não querem largar o osso



Imagem: Paulo França / Agência Senado
Por Pedro Henrique


Primeiro foi Marta Suplicy, agora são outros petistas que estão se preparando para abandonar o PT em seu pleno naufrágio. Paulo Paim (PT) disse recentemente estar insatisfeito com o corte de benefícios trabalhistas e previdenciários, além de reclamar que o PT não tem mais discurso.



A falta de um discurso também influencia os políticos petistas, que não sabem como se defender das acusações de uma certa permissividade em relação aos escândalos de corrupção do partido e de não poder se aproximar dos mais pobres.



Impressionantemente, Paim revela um discurso bastante afinado com a realidade para um petista, mas provavelmente isto é mais um indicativo de que vai sair do partido. Tamanha incompetência do PT de sustentar um discurso e práticas políticas razoáveis não é aceitável para quem tem um mínimo senso da situação política e insatisfação popular brasileira.

Tarso Genro (PT), pai de Luciana Genro (PSoL), recentemente declarou sua insatisfação com o PT, Dilma e o PMDB. Ele reclamou da lentidão do PT em responder a situação política colocada no Congresso pelo PMDB, que conseguiu aprovar um projeto próprio sobre as dívidas dos Estados e Municípios. Também falou da importância de uma reestruturação da dívida para evitar uma "austeridade inviável" para os Estados.

Na visão de Tarso, o problema seria resolvido por uma coordenação de forças políticas e sociais que "não querem o quanto pior melhor". Acredito que as forças sociais seriam a militância atuando na sociedade e as forças políticas se referem os aliados, explícitos ou não, que o PT ainda tem.

Tarso sugere que quem não é petista quer o "quanto pior melhor". Este já é um discurso desgastado usado pelos petistas para evitar qualquer crítica ao governo do PT. Para os petistas, criticar o PT é querer o pior para o país, como se o PT fosse dono do Brasil. Porém, quem critica está ajudando o país ao apontar problemas do governo petista.

Se os petistas fossem mais democráticos e ouvissem a sociedade, não teria perdido metade da sua popularidade, mas o PT insiste em manter a mentalidade totalitária marxista que deveria ter sido exterminada no fim da União Soviética. A mentalidade de que qualquer critica ao governo é atacar a sociedade. Eis o típico centralismo democrático leninista.

Se existe um grupo que segue a filosofia de que "quanto pior melhor" é o Partido dos Trabalhadores. É este partido que vem trazendo mais pessoas para a miséria, para chantagear os mais pobres ameaçando retirar benefícios estatais em troca de votos. 

Dilma, Lula e os petistas lucram com a destruição da sociedade brasileira, e a maior prova disto é que o PT está há mais de 12 anos eleito, mesmo com o Brasil indo para o buraco.


Comentários
0 Comentários
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

UOL Cliques