quinta-feira, 26 de março de 2015

Professor espanhol mostra como a esquerda odeia os patriotas


Imagem: Reprodução Redes Sociais

Por Pedro Siqueira

Já estou acostumado a ver bobagens ditas a respeito do nacionalismo e o que significa ser nacionalista, mas aquelas que bobagens ditas pelo professor espanhol Fernando Savater me chocaram. O choque ocorreu por duas razões. Uma delas é que é preciso um tremendo esforço para falar tanta bobagem a respeito do nacionalismo. Outra por que Savater é considerado um intelectual importante na Espanha. Olhem a seguinte fala:

Nas sociedades cosmopolitas e mestiças dos dias de hoje, em que habitamos espaços virtuais junto aos reais, não faz sentido relacionar a representação política à idéia de nacionalidade. Cidadania não pode dizer respeito a apenas um lugar, mas sim, a um conjunto de direitos universais. Gostaria que fôssemos mais céticos com relação à idéia de nação.
Agora lhes pergunto: o que a mestiçagem impede preservação e o cuidado para com sua nação? O Brasil mesmo é o exemplo que torna ridícula esta associação entre mestiçagem e descrédito do nacionalismo. Nosso país é altamente mestiço, desde suas origens, no entanto, vez por outra na história, demonstra um espirito e interesse nacionalista.

Depois, Savater segue dizendo que não faz sentido relacionar a representação política à ideia de nacionalidade, mas quaisquer representações políticas, mesmo aquelas representações em órgãos internacionais, estão fundadas em nações. Os representantes na ONU representam nações e não usam outro tipo de representação, como classe econômica ou etnia. Cada pessoa tem uma nacionalidade e está sujeita às leis de um país, tendo que passar por uma série de procedimentos burocráticos para poder tirar a cidadania de outro país. E tudo isto é necessário por que? Bom, por que o povo de cada nação acaba adquirindo uma identidade cultural, psicológica e social que têm como uma das expressões mais superficiais a lei. A ideia de que "a cidadania não pode dizer respeito a apenas um lugar" é completamente sem sentido. Nacionalismo não é relacionar a cidadania a apenas um lugar, mas ser nacionalista é reconhecer que preservar e cuidar de lugares são importantes para a cidadania.
O nacionalismo é a ideologia mais simples. Para ser comunista ou liberal, é preciso ler alguns livros e conhecer certas teorias. Para ser nacionalista não é necessária nenhuma elaboração mental. Basta dizer: 'nós somos os melhores e a culá de nossos problemas é dos outros, eles é que são maus'. Em países com pouca formação política, é muito eficiente.
Esta é a parte que quase me fez vomitar. Nenhuma linha ideológica precisa de fato de leitura. Qualquer idiota pode se dizer comunista, liberal, conservador ou nacionalista sem ter lido uma linha de um autor destas filosofias políticas. O que está implícito nesta fala é que nacionalistas costumam ser nacionalistas por serem ignorantes ou por que não é preciso se esforçar para compreendê-lo. É uma estupidez galopante! Nacionalismo não significa dizer que um povo é melhor ou pior do que outro. Nacionalismo significa proteger e cuidar de sua nação. É ter respeito por sua nação, pelo onde você vive, por sua sociedade e ambiente.

É de fato muito curioso: em momentos em que o nacionalismo se reacende no Brasil uma entrevista assim é divulgada. A ideia é mesmo fornecer mentiras e retórica barata para quem quer atacar os brasileiros que defendem seu país do PT.
Comentários
0 Comentários
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

UOL Cliques