quinta-feira, 12 de março de 2015

A experiência de uma notável escritora com o feminismo e a “igualdade de gêneros”


Imagem: Reprodução Redes Sociais
Por Israel Pestana

É sabida a intransigência  e com muita frequência desonestidade 
 dos movimentos de esquerda em defesa de suas causas. Roger Scruton já deu uma possível causa para o comportamento agressivo e mesmo anti-democrático dos esquerdistas. O filósofo inglês disse: “A posição esquerdista define a si mesma como opositora. É contra coisas. Tem uma vaga e abstrata ideia de coisas das quais é a favor (...). Mas sabem claramente que são contra essa coisa, aqui e agora, e amplificam o seus próprios ódios a essa coisa reunindo-se num grupo, pensando em acolher os seus pensamentos de superioridade. ’Nós estamos absolutamente juntos nisto! E iremos contra essas pessoas para calá-las. E estamos certos em fazê-lo!’”

Não poderia deixar de ser assim também com o movimento feminista.

Christina Hoff Sommers, doutora em filosofia e escritora dos notáveis livros Who Stole Feminism e The War Against Boys, relata no vídeo abaixo a ocasião em que sofreu com a mendacidade feminista, sendo difamada em um evento como “potencialmente perigosa” e 
 sem um fundo de verdade sequer  “xenófoba”. A “monstruosidade” feita por Christina para merecer tais epítetos? Simplesmente não concordar com as falsas premissas do feminismo.

O feminismo tem como uma de suas falsas premissas a relativização dos papéis e diferenças entre homens e mulheres, o que desemboca no estímulo à criação de uma nova identidade, por vezes alheia à natureza humana. Na cosmovisão do feminismo, as identidades de gênero são conceitos criados, e podem por isso ser reformuladas. Esse estímulo à reinterpretação cultural, moral e natural de gêneros tem verdadeiramente libertado mulheres e homens de suas amarras? Ou será que a diferença de papéis é afinal um sinal de bem estar e liberdade?

Homens e mulheres, vistos como grupos, são diferentes entre si em aspectos importantes. As diferenças parecem estar baseadas em alguma combinação entre forças biológicas e culturais. Sommers, no vídeo, sugere que a prosperidade pode trazer grandes oportunidades para a realização pessoal no que diz respeito a gênero.


Vídeo do canal Tradutores de Direita
Tradução: Israel Pestana
Agradecimentos a: Ramiro Freire

(Texto escrito com a colaboração de Ramiro Freire)
Comentários
0 Comentários
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

UOL Cliques