sábado, 28 de fevereiro de 2015

Opositor de Putin é assassinado em Moscou. Te cuida PMDB. Te cuida PSDB.


Imagem: Kirill Kudryavstsev / AFP
Por Luciano Ayan

A partir do momento em que socialistas chegam ao poder, a forma pela qual buscarão se manter por lá pode incluir tudo. Nenhuma arquitetura de ideias criada pelo ser humano é tão baseada unicamente na conquista de poder (por todos os meios necessários) que o socialismo. 

Se Maduro assassina jovens em manifestações, o governo petista agride caminhoneiros e ainda vemos milicianos enlouquecidos atacando de forma fascista manifestantes pacíficos. Já na Rússia, eles resolvem as coisas de uma maneira mais, digamos, leninista. Tudo para a manutenção do poder.

Veja a matéria "Opositor de Putin assassinado em Moscou", do Globo:
Um importante líder da oposição russa, Boris Y. Nemtsov, foi morto em uma rua no centro de Moscou nesta sexta-feira, afirmou o ministro russo do Interior à agência de notícias Interfax.
Nemtsov, de 55 anos, ganhou destaque ao se tornar governador do oblast de Nizhny Novgorod, e assumir o posto de vice-primeiro-ministro no fim dos anos 1990, durante os últimos anos de Boris Yeltsin à frente da presidência.
Desde que deixou o Parlamento, em 2003, Nemtsov fundou e comandou uma série de partidos de oposição, o último deles, o Partido Republicano da Rússia (RPR-PARNAS, na sigla em russo), e se tornou um crítico feroz do presidente russo, Vladimir Putin.
Uma das principais críticas de Nemtsov ao governo russo surgiu durante os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014, realizados em Sochi, quando ele publicou um relatório em 2013, no qual classificou as Olimpíadas como "uma das mais descaradas falcatruas" na História recente da Rússia. Segundo o opositor, 60% do orçamento final dos jogos — que tiveram um custo de US$ 30 bilhões — foram superfaturados.
No domingo, o opositor participaria de uma marcha que promoveu ativamente, contra a intervenção russa na Ucrânia.
De acordo com o site russo Meduza, "várias pessoas" saíram de um carro branco que se aproximou de Nemtsov e dispararam contra o opositor, que foi atingido por tiros de pistola nas costas.
Um de seu colegas no RPR, Ilya Yashin, confirmou a morte de Nemtsov.
"Infelizmente vejo o corpo de Boris Nemtsov na minha frente agora", disse Yashin ao site russo de notícias Ienta.ru. "Estou na ponte Bolshoy Zamoskvoretsky. Vejo o corpo e muitos policiais ao seu redor".
Em sua última manifestação no Twitter, Nemtsov fazia um apelo para que a oposição russa se unisse na marcha contra a guerra que ele planejava para domingo.
"Se você quer que a Rússia interrompa sua guerra com a Ucrânia, se você quer que as agressões de Putin parem, venha para a Marcha da Primavera em Maryno no dia 1º de março", tuitou Nemtsov.
Em 2014, durante uma entrevista à rede americana de TV CNN, Nemtsov lamentou a situação dos empresários russos.
"Este é um país corrupto. E se você tem um negócio, você está em uma situação muito perigosa. Todos podem pressioná-lo e destruir seu negócio. É assim. Esse é o meu país", afirmou Nemtsov, antes de adotar um discurso levemente mais otimista. "O povo russo está em apuros. Os tribunais do país não funcionam, e a educação na Rússia piora a cada ano. Acredito que a Rússia tem uma chance de ser livre. Uma chance. É difícil, mas temos que conseguir".
Putin condenou o assassinato do líder opositor e disse que a morte de Nemtsov pode ter sido encomendada. O porta-voz do presidente, Dmitry Peskov, afirmou que o atentado contra Nemtsov também poderia ser uma manobra de "provocação", já que a oposição prepara um grande protesto em Moscou para este domingo.
Segundo Peskov, Putin foi rapidamente informado do assassinato, expressou suas condolências e ordenou que agentes da segurança investiguem o caso.
Como quase sempre ocorre o governo socialista já tem os culpados em mente: "a oposição". Sabe como é né. O país está numa pindaíba de dar dó (por causa da queda do Petróleo, junto com o advento da cleptocracia), logo, eles tendem a ficar mais furiosos e, é claro, apelar ainda mais ao caradurismo na hora de lançar suas culpas nos outros. 

Para partidos como PMDB e o PSDB não tem volta. Ou o PMDB atua para ajudar a expurgar o PT da política nacional, assim como o PSDB deve atuar para fazer uma oposição efetiva ao partido, ou então que ambos comecem a colocar suas barbas de molho, pois a crise chegando torna os socialistas mais violentos. Especialmente com os políticos que os contestem. 

Que o diga o prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, preso pelas tropas de Maduro. Boris Nemtsov, infelizmente, não poderá dizer mais nada. 
Comentários
0 Comentários
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

UOL Cliques