terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Defesa de petistas a Cardozo é baseada em... ataques torpes a Barbosa


Imagem: Sérgio Lima / Folhapress
Por Luciano Ayan

Além de falar verdades com que a maioria dos brasileiros sem segundas intenções concordaria, ao mencionar que Cardozo deveria ser demitido, Joaquim Barbosa ainda lembrou que não é função de advogado (no caso de empreiteiras) sair buscando soluções vindas de ministros de justiça. Eles deveriam recorrer ao juiz. 

Em seu Twitter, Barbosa disse:
Se você é advogado num processo criminal e entende que a polícia cometeu excessos/deslizes, você recorre ao juiz. Nunca a políticos. 
E completou:
Os que recorrem à política para resolver problemas na esfera judicial não buscam a Justiça. Buscam corrompê-la. É tão simples assim. 
Veja a imagem:


Pois o que Barbosa lançou é nada mais nada menos que um argumento. Ele mostrou o comportamento certo. E o errado. E definiu por que o comportamento errado é errado. 

O que os defensores do PT e de Cardozo deveriam fazer? Contra-argumentar, certo? Vá sonhando...

O secretário de Comunicação do PT, José Américo, disse: 
Ele diz que se aposentou por dor nas costas, mas o objetivo era outro: militar e tentar um cargo político a curto prazo.
Ué, ele pode sim estar de olho nas próximas eleições. Ele não é mais ministro do STF. Ele está aposentado. Isso não ocorre com Cardozo, que é ministro e não pode fazer politicagem em seu cargo. 

Américo segue em seu show de ilógica:
Ao polemizar com Cardozo, ele repete seu ativismo jurídico e mostra que o tempo todo tinha objetivo político. 
Não, não mostra. Dar opiniões sobre um fato atual não serve para comprovar um objetivo político seu no passado, principalmente vindo de alguém que já apoiou o PT no passado em algumas vezes, como Barbosa. A diferença é que Barbosa tanto apoiou como criticou o PT, em diferentes momentos. 

Mas mesmo que ele tivesse algum objetivo político, isso não refuta seus argumentos. 

O Coordenador Jurídico do PT, Marco Aurélio Carvalho, não mudou o tom:
Por ironia do destino, ele se aposentou e hoje procura fazer o que sempre criticou: pediu carteirinha da OAB [Ordem dos Advogados do Brasil] para sobreviver. 
Que baixeza moral! Quanta canalhice intelectual! O nível aqui é o da xingação de parquinho. 

Já os criminalistas do partido, como Antônio Carlos de Almeida Castro, não se saem melhor. Castro disse: 
Como é Carnaval parece ser uma piada de salão: um ex-ministro do Supremo sair do ostracismo para tentar pressionar a presidente da República e pedir a demissão do ministro da Justiça.
Para esta figura, devemos entender que um ex-ministro não pode mais se pronunciar se for para falar algo que desagrade o PT. Aí é só encenar um teatrinho dizendo "como ele ousa fazer isso?". Truque manjado. Mas nada de refutação ao argumento de Barbosa. 

Luiz Fernando Pacheco, advogado de mensaleiros, famoso por ter sido justamente expulso por mau comportamento em uma sessão no STF, disse que Barbosa demonstra "desrespeito" aos profissionais de direito e revela o "caráter populista" do ex-ministro do STF. Como sempre, a argumentação não sai do zero. 

Que nível, que nível dessa tropa de defesa do PT. Deve ser o carnaval, pois normalmente eles teriam mais cuidado e tentariam ao menos uma argumentação falaciosa. Aqui simplesmente não tentaram argumentação alguma. Teríamos até pena deles se não fossem tão totalitários. 

Em tempo, relembre a cena da expulsão de Pacheco:


Comentários
0 Comentários
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

UOL Cliques